Ir para o conteúdo

Prefeitura de Nipoã/SP e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura de Nipoã/SP
Serviços
Agricultura
Galerias de Fotos Vinculadas
01/07/2022
Vem aí o período de estiagem e, com o tempo seco, a possibilidade de queimadas é grande: a prevenção é a melhor alternativa
O Departamento Municipal de Meio Ambiente e a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil, preocupados com as mudanças climáticas que demonstram rompantes agressivos da natureza, ALERTA para a saída do período das águas, visto que não choveu o suficiente para recuperar os reservatórios de água e as nascentes.

As matas nativas, seringueiras e a cana-de-açúcar se tornam um barril de pólvora por si só. Qualquer queimada pode virar um incêndio de grandes proporções, mas as áreas de pastagens também sofrem e a preocupação já é grande, pois já têm pasto seco agora, bem como represas vazias, que deveria estar cheia, porque estamos saindo do período das águas. Este ano, com certeza, vai ser mais complicado que o passado. Há risco de faltar água em muitas regiões, pois não aconteceram chuvas significativas. Os produtores já reclamam de represas mais baixas, poços vazios e alerta para a possibilidade de faltar água até para beber. Então, é preciso ainda mais a atenção do produtor na prevenção às queimadas.

Até o final da estiagem no estado de São Paulo ? iniciada em abril, após "as águas de março fechando o verão", como diz a canção popular, e que só vai terminar lá por setembro, com o prenúncio da Primavera ?, muitas queimadas poderão ser registradas. Elas acontecem com maior frequência em propriedades rurais que ficam às margens das estradas, onde qualquer toco de cigarro jogado inescrupulosamente pode vir a causar um incêndio de maiores proporções devido ao mato estar muito seco nesta época, sendo material de fácil combustão. Alguns incêndios são criminosos, outros podem ser causados por raios, e, ainda outros, por descuido na limpeza de terrenos; até um caco de vidro, uma lata, um pedaço de metal, podem ser responsáveis por dar início ao fogo que, sem controle, pode consumir grandes áreas de plantações ou matas.

Os proprietários de áreas rurais precisam ficar atentos para evitar incêndios de grandes proporções em suas lavouras, e sempre é bom reforçar as medidas de prevenção, já que fatores como o aumento da incidência de ventos, a baixa umidade relativa do ar e a falta de chuvas contribuem para que eles ocorram.

A região também tem grandes áreas de pastagens e cana, ou seja, as mesmas condições favoráveis às queimadas. Nesse momento temos que estar alertas e antecipar as precauções, pois a tendência este ano é termos um inverno seco, com umidade baixa e as queimadas, que normalmente acontecem em julho e agosto.

O ideal é ter ações coordenadas para atuar em casos de prevenção ou ocorrência de incêndios, unindo os órgãos de governo, municipal e estadual, e a sociedade civil. Os produtores já devem fazer os aceiros e se preparar, porque o risco de queimadas é iminente, embora ainda seja esperado um pouco de chuva antes do longo período de estiagem.

O fogo pode causar inúmeros danos, além da queimada em si, como matar os micro-organismos do solo e destruir a matéria orgânica, consequentemente empobrecendo-o para o cultivo. Mata também os animais silvestres, deixando como saldo prejuízos com a queima de estruturas como cercas e, sendo em áreas de pastagens ou cultivos, pode inviabilizar toda a produção naquele espaço. O fogo também pode atingir a rede elétrica e provocar um aumento nos danos. As áreas mais vulneráveis são aquelas com cana, pastagens, fruticultura, eucaliptos, seringueiras e matas nativas, portanto, atenção e prevenção devem ser redobradas neste período. Abaixo relacionamos as atitudes de prevenção a serem realizadas:

1 - Ficar a par da legislação, porque sendo ou não culpa do proprietário, ele poderá responder pelos danos.

2 - Fazer aceiro com grade e/ou enxada, para que o fogo não passe para outros locais. Técnica de baixo custo e muito eficaz.

3 - Manter um tanque de água sempre cheio e meios de transporte para levar a água até o local do incêndio.

4 - Fazer uma limpeza, eliminando materiais de fácil combustão das áreas.

5 - Elaborar um plano de contingência junto aos funcionários e à família; por exemplo, já ter discutido o que deve ser feito para contenção. Mobilizar todas as pessoas da área e também os vizinhos, para evitar que o fogo fique incontrolável.

6 - Ter todos os telefones úteis à mão, como o do Corpo de Bombeiros, da prefeitura e/ou da Defesa Civil, das usinas pois as tais têm brigadas de incêndio e colaboram com os proprietários a fim de evitar maiores danos, caso o fogo se alastre também pelos canaviais.

7 - Se o fogo for em área de pastagem, abrir a cerca para os animais saírem para lugares a salvo.

O mais importante, no entanto, é que o produtor rural faça um monitoramento ou a vigilância constante da sua propriedade, pois, apesar das orientações para prevenção, os incêndios fatalmente podem ocorrer e é necessário que o proprietário rural possa garantir a sua segurança física e de todos, funcionários e vizinhos, mas também a segurança jurídica, de forma que possa comprovar os seus cuidados com a propriedade e com o meio ambiente.
13/06/2016
Equipe de brigadistas participam de oficina preparatória para operação estiagem
Nos dias 19 e 20 de maio, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC/SP), em conjunto com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente, Policiamento Ambiental e Corpo de Bombeiros, realizou Oficina Preparatória para a Operação Estiagem (OPOE) em São José do Rio Preto.

Nipoã foi representada por João Ivan Giacon Gestor Ambiental e responsável pelo Departamento de Meio Ambiente e Coordenador da Defesa Civil e pelos Brigadistas Flavio Henrique Brandeli, Fabio Aparecido Brandeli, Romildo de Oliveira Marques, Samuel Vasques, Marcelo Aparecido Botas dos Santos funcionários da Prefeitura Municipal.

Nesta oficina foram discutidos temas sobre situação de anormalidade, abrindo para as outras entidades que falarão a respeito da “Operação Corta-Fogo”, pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente, a situação do combate ao Aedes Aegypti no estado, principalmente, nas regiões do interior, onde o foco do mosquito é mais alto. Outros temas também foram abordados, como: as solicitações de recursos resposta/reconstrução; Programa Município Verde Azul; aeronaves de combate a incêndios; kit estiagem; fiscalização de queimadas e incêndios florestais pelo Policiamento Ambiental e a importância da formação regional de brigadistas e acionamento pelo Corpo de Bombeiro.

Já o 2º dia foi dedicado ao Corpo de Bombeiros que ministra aulas práticas para formação de brigadistas. Os municípios que cumprirem os critérios estabelecidos pela CEDEC/SP poderão receber kits de estiagem, com equipamentos mínimos para uma brigada de incêndios.
19/06/2015
Semana do Meio Ambiente e Ecologia de Nipoã trouxe programação vasta e variada
Foi comemorada de 01 a 09 de junho, a Semana do Meio Ambiente e Ecologia de Nipoã que incluiu programação vasta, realizada em diferentes locais da cidade. “O leque de atividades contemplou público de vários órgãos municipal (com programação promovendo conhecimento e brincadeiras), destaca o Gestor Ambiental do Departamento Municipal de Meio Ambiente (DMA), João Ivan Giacon.

A semana iniciou no dia 01 de junho, com uma trilha e caminhada Ecológica Circuito Mata Nativa e Biodiversidade com alunos da Escola Municipal “Sidney Scaff” na estrada Boiadeira Municipal de terra que liga Nipoã a Monte Aprazível, no sítio Hélio Bocato.

No dia 02 de junho as programações se realizaram na Escola Municipal “Dr. Sidney Scaff”, com a participação de todos os alunos e os integrantes do Projeto GURI, iniciou a programação com o Hino Nacional tendo como enfoque a proteção da fauna e da flora, seguindo com apresentação de vídeo com o tema “Uma carta para o ano 2070” que teve enfoque sobre a importância da água, após teve a apresentação de música com teatros voltados para o meio ambiente e apresentação com Agentes de Vetores sobre o combate a Dengue, teve a exibição do vídeo “Documentário Trafico de Animais Silvestre” e encerrou-se a programação do dia com a apresentação instrumental dos integrantes do Projeto GURI.

No dia 08 de junho a programação envolveu os alunos da Escola Municipal “João Vasques” com a apresentação de teatro voltado para o Meio Ambiente, demonstrando a importância da água, a preservação da mata nativa e a forma correta de tratamento dos resíduos sólidos.

No dia 09 de junho foi encerrada a programação com o tradicional plantio de mudas, sendo realizado pelos alunos do Centro Municipal de Educação Infantil – CEMEI no Campo de Futebol da Secretaria Municipal de Esportes. O Dia Mundial do Meio Ambiente foi instituído pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em 1972, durante a Conferência da ONU, cujo tema central foi o ambiente humano, em Estocolmo, na Suécia. “A proteção e o melhoramento do meio ambiente humano são uma questão fundamental que afeta o bem-estar dos povos e o desenvolvimento econômico do mundo inteiro, um desejo urgente dos povos de todo o mundo e um dever de todos os governos”, afirma a frase da Declaração de Estocolmo, divulgada em junho de 1972.

Em razão da crescente importância das questões ambientais, o Dia Mundial do Meio Ambiente se alongou e se transformou, oficialmente, em São Paulo, na Semana do Meio Ambiente, de acordo com a Lei Estadual nº 15.781, promulgada em 10 de abril de 2015.
10/06/2014
Atividades da semana integrada do meio ambiente e da ecologia forma realizadas em Nipoã
A Prefeitura de Nipoã através do Departamento Municipal de Meio Ambiente realizou em parceria com a Escola Municipal “Dr. Sidney Scaff”, EMEI “João Vasques”, SABESP e Usina Nova Moreno a Semana Integrada do Meio Ambiente e da Ecologia, tendo este ano utilizado o tema “TUDO ACONTECE CONFORME A NATUREZA” e teve seu inicio no dia 02 (segunda feira) com visita monitorada à (ETE) – Estação de Tratamento de Esgoto – SABESP de Nipoã dos alunos da rede de ensino municipal do 3º, 4º e 5º ano, no período da manhã e tarde, e teve a explanação do Senhor Marcos Cruz Encarregado de Posto de Operação da Sabesp, com a participação de 200 (duzentos) alunos; no dia 03 (terça feira) com visita monitorada ao Viveiro de Mudas da Usina Nova Moreno no município de Nipoã, dos alunos da rede de ensino municipal do 3º, 4º e 5º ano, no período da manhã e tarde, e teve a explanação do Engenheiro Agrônomo Adriel de Carvalho Suman que é o responsável pelo Meio Ambiente da Usina Nova Moreno que esclareceu todas as duvidas dos presentes, com a participação de 200 (duzentos) alunos; no dia 04 (quarta feira) no período da manhã, com visita monitorada na Estação Elevatoria de Água Bruta e Estação de Tratamento de Água da Sabesp na cidade de Monte Aprazivel, dos alunos da rede de ensino municipal do 3º, 4º e 5º ano, no período da manhã, e teve a explicação dos senhores Antonio Donizete Ziolli, Edson Zagatt e Antonio Umberto Vieira, todos técnicos da SABESP, com a participação de 100 (cem) alunos e no período da tarde a visita ao Aterro de Resíduos Sólidos do Município de Nipoã, com os alunos, professores, coordenador e monitores da Escola Municipal do 3º, 4º e 5º ano, com a participação de 90 (noventa) alunos, sendo que o Gestor Ambiental João Ivan Giacon explicou sobre a importância da reciclagem para diminuir o volume dos resíduos Sólidos no Aterro e assim prolongar a vida útil do Aterro; no dia 05, no período de manhã e tarde foi realizada visita minitorada à Nascente Modelo, Reflorestamento e Biodoversidade no sítio Jaraguá, com a participação de 180 (cento e oitenta) alunos do 1º e 2º ano, professores, coordenador e monitores da Escola Municipal e encerrando a semana, no dia 06 (sexta feira) foi realizado pelos alunos da Escola Municipal “Dr. Sidney Scaff” e Escola EMEI “João Vasques”, com a participação de todos os alunos, tendo sido realizado teatros e também exposição em mural dos trabalhos dos alunos. A Semana Integrada do Meio Ambiente e da Ecologia teve caráter educativo e foi estruturada em cima de seis diretivas diferentes do Programa Município Verde Azul, sendo elas: Esgoto Tratado, Resíduos Sólidos, Biodiversidade, Arborização Urbana, Educação Ambiental e Gestão das Águas; alcançando o objetivo proposto inicialmente pelo Departamento Municipal de Meio Ambiente.
Seta
Versão do Sistema: 3.2.10 - 11/01/2023
Copyright Instar - 2006-2023. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia